Año litúrgico

2022-5-29  ASCENSÃO DO SENHOR   主の昇天

 (ポルトガル語)

Depois de Jesus morrer na cruz os discípulos tiveram a experiência de compreender por primeira vez aquela palavra que Jesus lhes disse uma vez na Galiléia: “Quando dois ou tres de vocês estão reunidos em meu nome aí estou eu.” Os discípulos descobriram que quando eles estavam reunidos e rezando juntos, Jesus vivo e Ressuscitado estava presente no meio deles. A isto se referem as palavras que o evangelista João pôs em boca de Jesus na última Ceia: “Agora vocês não compreendem o que eu estou dizendo: mas o Espírito vos fará compreender. O Espírito que o meu Pai vos enviará, Ele vos fará compreender desde o interior de vosso espírito. Ele vos ensinará tudo… O Espírito da Verdade vos conduzirá à plena verdade”. A experiência dos discipulos foi a do encontro com Jesus Vivo e Ressuscitado que estava no meio deles como Espírito.

Em comunhão com os cristãos do mundo inteiro, celebramos a Ascensão do Senhor plenitude da Páscoa. Sentado à direita do Pai, Jesus continua junto à humanidade e nos quer como suas testemunhas. Neste dia mundial das comunicações, façamos o compromisso de sermos comunicadores que sabem escutar os apelos de Deus e dos irmãos e irmãs. “Escutai!” Esta palavra é o tema escolhido pelo papa Francisco para o Dia Mundial das Comunicações Socials. A escuta é uma das atitudes fundamentais para boa comunicação. Muitos conflitos nas relações humanas seriam evitados se a escuta fosse cultivada. A escuta é também importante no caminho da evangelização. Para comunicar o Evangelho é necessário escutar a voz de Jesus e a voz do povo. A escuta é igualmente essencial no caminho da Igreja que deseja crescer na sinodalidade, isto é, no caminhar juntos. Caminhar juntos é um processo de comunicação e de partilha que não pode ser eficaz sem a escuta. Somos convidados a crescer sempre mais nesta direção: na escuta uns dos outros, e todos juntos, escutando o que diz o Espirito, para assim respondermos, de forma fecunda, aos desafios da evangelização hoje.

O Mistério Pascal é uma realidade única: nem a ressurreição, nem a ascensão, nem o sentar-se à direita do Pai, nem a glorificação, nem a vinda do Espírito, são fatos separados. As diferentes “expressões” do Mistério Pascal não aconteceram só no passado, mas também estão acontecendo neste instante. São realidades que estão afetando nossa própria vida. Podemos e devemos vivê-las como os(as) discípulos(as) de Jesus as viveram.

Para nós, seguidores(as) de Jesus, Ascensão é abertura para o cotidiano, para a realidade do serviço. É preciso partir e viver o chamado do Mestre para prolongar, neste mundo, seu modo de ser e de viver. A Ascensão de Jesus não significa evasão aos céus – “Homens da Galiléia por que ficam aqui, parados, olhando para o céu?” (At. 1,11) – mas imersão na vida. Aquele que Vive não escapou do mundo; sua Ascensão significa expansão e presença no universo inteiro, plenificando tudo em todos; Ele agora assume todos os rostos, identifica-se com toda a humanidade e continua a caminhar pelas Galiléias dos excluídos, das periferias, dos pobres, acampa junto aos que vivem às margens…

Ao celebrarmos a entrada de Jesus na glória, não celebramos uma despedida ou um distanciamento, mas um novo modo de presença; celebramos a proximidade radical d’Aquele que é, realmente, o Emanuel, o Deus-conosco para sempre. Ao “subir aos céus”, Jesus se faz mais radicalmente próximo de todos, ultrapassando tempo e espaço. Ascensão não é afastamento, mas uma maneira nova de fazer-se presente a todos e em todos os lugares. O que Jesus faz é restabelecer e assegurar a proximidade e comunicação com toda a humanidade. Isto deve nos dar uma grande alegria, pois Ele permanece aqui na terra, junto a nós. Eis que eu estarei convosco todos os dias, até a fim do mundo” (Mt 28,20)

2022-6-5  PENTECOSTES 聖霊降  

ポルトガル語

Que esta solenidade renove em nós a força do Espírito Santo, que nos envia a anunciar a mensagem de Deus como apóstolos de paz, de perdão e de alegria. “O amor de Deus foi derramado em nossos corações pelo seu Espirito, que habita em nós”…  O Espirito de Deus nos impulsiona a falar a linguagem do amor, compreensível a todos. Ele nos reúne como única familia, na diversidade de dons e nos envía em missão.

É o Espírito Santo que torna as oferendas do pão e do vinho em Corpo e Sangue de Cristo, alimento para nossa vida. “Se tendes o Espírito daquele que fez passar Jesus da morte para a vida, Ele que O ressuscitou, também fará viver os vossos corpos mortais pelo seu Espírito que habita em vós.” (Rom 4, 11)

 O Espírito não nos torna escravos nem medrosos. Mas torna-nos filhos de Deus. É Ele que nos faz exclamar: “Abba”, que quer dizer: “meu Pai”.  É o proprio Espírito que testemunha com o nosso espírito que somos filhos de Deus. (Rom 4, 14-16).

 Hino do Espírito Santo.

Vem, Espírito Santo manda-nos do céu um raio de tua luz. / Vem, Pai dos pobres.Vem, doador dos dons.Vem, luz dos corações./ Consolador perfeito, hóspede doce da alma, doce alívio na fadiga, repouso, no calor, reparo, no pranto, conforto./ Ó luz maravilhosa, invade intimamente o coração dos fiéis. / Sem a tua força nada há no homem, nada que não seja culpa. / Lava o que é impuro. Rega o que é árido, cura o que sangra. / Dobra o que é duro, aquece o que é frio, acerta o que é torto. / Dá aos teus fiéis que só em ti confiam, os teus santos dons. / Dá a virtude e prêmio, dá morte santa, dá alegria eterna. Amém./

2022-6-12  UN SOLO DIOS: PADRE, HIJO Y ESPÍRITU SANTO  三位一体

スペイン語

En vez de hablar con palabras difíciles sobre el misterio de Dios-Trinidad, nos dejamos guiar por su Espíritu Santo, que nos hace reconocer a Jesús como el rostro visible del Dios invisible. Jesús es el Camino, la Luz y la Vida. El nos muestra el camino que conduce a la vida verdadera. Él nos ayuda a salir de los engaños y extravíos.

Creemos en un solo Dios que se manifiesta y revela de un modo trinitario, como una corriente de bendición que viene desde Dios Padre, se hace visible por medio de Jesucristo y habita en nosotros como Espíritu de vida. Es trinitaria su revelación y es trinitaria nuestra respuesta de fe, porque movidos por el Espíritu que habita en nosotors, caminamos junto con Jesús hacia la vida eterna dentro del misterio de Dios-Padre.

Así es como resumimos nuestra fe en el Dios único al hacer la señal de las cruz, diciendo: En el nombre del Padre, y del Hijo y del Espíritu Santo.

Recordamos las tres preguntas del bautismo: ¿Crees en Dios Padre, todo-poderoso, Creador del cielo y la tierra, Fuente de la Vida? ¿Crees en Jesucristo, rostro visíble del Dios invisíble, que nos muestra el Camino de la Vida? ¿Crees en el Espírito Santo presente dentro de nosotros y dándonos vida?

Cuando decimos que nuestra manera de creer es trinitaria, no creemos en tres dioses, sino en el misterio del Dios Único que da sentido al enigma de la vida. “Quien me ve, está viendo al mismo Dios, Padre y Madre, Fuente de la Vida” (Juan 14, 7). “Ahora os convienen que yo me vaya, pero después volveré a estar con vosotros como Espíritu”, dice Jesús al despedirse de sus discípulos durante la Última Cena. (Jn 16,7).

 “Abba”, “Papá”, es la palabra clave para hablar del Origen Último de toda Vida. Se traduce como Padre o Madre, pero quiere decir más que padre y más que madre, Amor Personal Infinito. “Hijo” es palabra clave para hablar de la vida de Jesús, porque el hijo de María y José es, en lo profundo de su ser el mismo Hijo de Dios hecho humano para darnos vida eterna. Jesús es la presencia visible entre nosotros del Dios invisible, es la Palabra de Sabiduría de Dios hecha carne. Espíritu Santo es la palabra clave para hablar de la presencia de Dios en nuestro interior dándonos vida y promesa de vida eterna.

Así como decimos “en el nombre del Padre, del Hijo y del Espíritu Santo”、podríamos decir también: “En el nombre de la Fuente, de la Faz y de la Brisa”.  Y cuando Jesús dice: “Yo soy el Camino, la Luz y la Vida” nos está recordando que su Espíritu nos está dando continuamente la vida y nos está guiando por el Camino hacia la Luz de la Verdad de Dios Padre.  

2022-6-19  SOLENIDADE DE CORPUS CHRISTI 

ポルトガル語

Como é que está Jesús vivo e realmente presente no símbolo sacramental do pão de vida quando recebemos a comunhão? Há duas classes de símbolos; uns são como uma foto; outros são como um abraço. A foto é somente um símbolo que nos lembra a pessoa ausente. Mas o abraço é um símbolo sacramental, não somente uma lembrança. A pessoa querida não estava presente na foto. Ao contrario em outros símbolos que chamamos símbolos sacramentais, como no abraço, a pessoa está presente com seu corpo.  Esse abraço é símbolo do carinho e ademais presença real da pessoa abraçada. Um sacramento é um símbolo que faz realmente presente o que significa. Os sacramentos da Igreja são símbolos visíveis da graça de Deus invisível.

Por esta razão dizemos que a Eucaristia não é um símbolo como a foto de lembrança, senão é um símbolo sacramental, sígno da presença real que realiza e significa. Jesus Cristo está realmente presente na Eucaristia, e na celebração da Missa e a Comunhão, não somente como lembrança senão como presença real.

Ademais esta presença é muito mais forte do que o abraço. Na Comunhão não somente Cristo nos abraça mas se identifica conosco. Recebemos a Ele mesmo dentro de nós e Ele nos recebe, isto é, se une a cada pessoa que comunga. Um poeta que escreveu uns versos sobre a Última Ceia de Jesus escreveu assim sobre a comunhão: “Comer-Vos é ser comido por Vós”. Como Jesus disse no Evangelho de São João: “Como o Pai está em mim e eu nEle, assim vou estar dentro de vós e vós dentro de mim.”

São Paulo expressa esta união com Cristo assím: Vivo eu, já não eu, mas vive em mím Cristo. Na comunhão recebemos realmente, de um modo espiritual, a vida de Cristo glorioso, que nos une a Ele. Também une entre sí aos que “bebem” sua vida, isto é, se identificam com a vida e morte de Cristo, compartem a morte e ressurreição com Ele.